6 Motivos Para Banir o Glúten De Sua Alimentação e Viver Muito Mais Saudável

Tempo de leitura: 9 minutos

Atualmente vem se falando muito mal com relação ao glúten.

Mas glúten é um vilão da nossa alimentação ou não?

Antigamente, antes do advento da agricultura nossa alimentação era dividida da seguinte maneira:

  • 75% de gordura;
  • 20% de proteína;
  • Apenas 5% de carboidratos.

Hoje em dia a divisão é a seguinte:

  • 20% de gordura;
  • 20% de proteína;
  • 60% de carboidrato.

Essa alteração brusca na alimentação pode ter relação com as doenças contemporâneas.

O pão e outros alimentos preparados de trigo sustentam os seres humanos há séculos.

Mas na década de 50 do século passado, começaram os experimentos em laboratório desse trigo de hoje, que não é nem de perto aquele original.

O Dr. William Daves em sua obra: “Barriga de trigo”.

Afirma que o trigo é um dos poucos alimentos que conseguem alterar o comportamento do organismo, provocando prazer e gerando síndrome de abstinência quando eliminado da dieta.

Ele é um grande estimulador de apetite, tanto para alimentos que contenham trigo ou não.

Alguns estudos começam a demonstrar que ele tem um efeito similar aos das drogas, provocando danos neurológicos nas pessoas.

O Dr. William Dave ainda afirma que:

Os efeitos peculiares do trigo nos seres humanos, já documentados, incluem a estimulação do apetite e a exposição do cérebro a exorfinas.

Exorfinas são substâncias equivalentes às endorfinas, produzidas internamente.

Pois picos exagerados de açúcar no sangue aumentam o apetite.

Além da glicação, que é um processo que está ligado a doenças do envelhecimento, inflamações, alterações de PH, etc.

Outras doenças estão ligadas ao trigo, como: enfermidades intestinais, transtornos neurológicos, diabetes, doenças cardíacas, artrite e até mesmo esquizofrenia.

6 Motivos Para Evitar o Glúten e Viver Mais Saudável:

1. Aumento De Doenças Celíacas

Aumento De Doenças Celíacas
Aumento De Doenças Celíacas

O glúten é uma proteína presente em muitos tipos de cereais, incluindo o trigo, espelta, centeio e cevada.

Ele consiste em duas proteínas: a gliadina e a glutenina.

A primeira (gliadina) que causa nas pessoas reações negativas.

Quando se mistura a farinha com água, o glúten forma uma rede de ligações cruzadas pegajosas de proteínas.

O que dá propriedades elásticas à massa do pão, permitindo que este aumente de tamanho quando cozido.

O glúten ao chegar no trato intestinal é exposto às células do sistema imunológico, que entendem (de forma errada) que este é algum tipo de invasor estranho, tal como uma bactéria.

Isto faz com que o sistema imunológico faça um ataque contra estas substâncias nas pessoas que são sensíveis a ele.

Que é a doença celíaca, a forma mais severa de sensibilidade ao glúten.

O sistema imunológico ataca as proteínas do glúten.

Mas também ataca uma enzima presente nas células do trato intestinal chamada transglutaminase tissular.

O glúten nos celíacos faz com que o sistema imunológico ataque tanto ele como a própria parede intestinal.

Esta reação imunológica pode provocar degeneração da parede intestinal, o que leva a deficiências nutricionais.

Além de vários problemas digestivos, anemia, fadiga, atraso de crescimento, bem como um aumento do risco de vir a sofrer de muitas doenças sérias.

Atualmente acredita-se que a doença celíaca atinge cerca de 1% das pessoas, mas pode ser mais comum, chegando a 2%.

2. Sensibilidade Ao Glúten

Sensibilidade Ao Glúten
Sensibilidade Ao Glúten

Não é preciso sofrer de doença celíaca para ter reações adversas ao glúten.

Existe outro problema muito mais comum, chamado sensibilidade ao glúten (ou intolerância ao glúten).

Que nada mais é do que uma reação adversa ao glúten, que tem uma melhoria dos sintomas em uma dieta isenta de glúten.

Quem sofre com reações adversas ao glúten, mas não tem a doença celíaca, então certamente tem sensibilidade.

Quem tem sensibilidade, não sofre com ataques do sistema imunológico.

No entanto, pode desenvolver sintomas similares aos da doença celíaca.

Tais como: inchaço, dores no estômago, fadiga, diarreia, bem como dores nos ossos e nas articulações.

Está gostando do artigo? Que tal baixar gratuitamente o Ebook "20 Receitas Fitness Para Ganhar Massa e Derreter Gorduras!" Então Clique Aqui.

3. O Glúten Pode Provocar Efeitos Adversos

O Glúten Pode Provocar Efeitos Adversos
O Glúten Pode Provocar Efeitos Adversos

Estudos mostram que indivíduos que não sofrem de doença celíaca nem de sensibilidade ao glúten ainda podem ter reações adversas a ele.

Em um desses estudos, 34 indivíduos que sofriam da síndrome do intestino irritável foram colocados de forma aleatória em dois grupos.

O grupo que ingeriu uma dieta que continha glúten e o outro uma dieta que era sem nenhum glúten.

O grupo da dieta que continha glúten sofreu mais dores, inchaço, fezes inconsistentes e fadiga em comparação com o outro grupo.

Outros estudos mostraram que o glúten pode provocar inflamação nos intestinos e degeneração do revestimento intestinal.

Ele também pode ter efeitos negativos na função de “barreira” do intestino.

Permitindo assim a introdução de substâncias não desejáveis na corrente sanguínea.

4. Ele Pode Causar Desordem Cerebral

Ele Pode Causar Desordem Cerebral
Ele Pode Causar Desordem Cerebral

Muitas desordens e doenças do cérebro estão associadas ao glúten e alguns pacientes obtêm melhorias significativas quando retiram o glúten de sua alimentação.

Doenças neurológicas podem ser causadas ou exacerbadas pelo consumo de glúten.

Estas doenças se chamam neuropatia idiopática sensível ao glúten.

Em um estudo realizado com pacientes de doenças neurológicas, a causa desconhecida, 20 de 53 pacientes (57%) tinham anticorpos contra o glúten no sangue.

A principal desordem neurológica que se acredita ser pelo menos parcialmente causada pelo consumo de glúten é a ataxia cerebelar.

Uma doença muito séria do cérebro que envolve a incapacidade de coordenar os movimentos, o equilíbrio, problemas de fala, etc.

Existem várias outras desordens cerebrais que respondem muito bem com uma alimentação livre de glúten, tais como:

  • Esquizofrenia: um subgrupo de pacientes de esquizofrenia obtêm melhorias significativas quando removem o glúten da alimentação.
  • Autismo: muitos estudos sugerem que as pessoas que sofrem de autismo obtêm melhorias nos sintomas quando seguem uma dieta livre de glúten.
  • Epilepsia: existem dados de pacientes que sofrem de epilepsia e que melhoraram de forma significativa depois de terem retirado o glúten da alimentação.

5. O Glúten Pode Ser Viciante

O Glúten Pode Ser Viciante
O Glúten Pode Ser Viciante

Existem pessoas que acreditam que o trigo pode viciar.

Eu acredito nisso!

É muito comum um apetite exagerado por alimentos como o pão ou bolachas.

Quando o glúten é degradado num tubo de ensaio, os péptidos que são formados nesse processo podem ativar receptores opioides.

Esses péptidos (proteínas pequenas) são chamados exorfinas de glúten.

Exorfina é um péptido que não é formado no corpo e que pode ativar receptores opioides no cérebro.

Uma vez que o glúten pode aumentar a permeabilidade dos intestinos (pelo menos nos doentes celíacos), essas exorfinas podem chegar a atingir a corrente sanguínea e em seguida o cérebro, provocando assim adição.

Alimentos que possuem glúten são tão viciantes como os que contem açúcar.

6. O Glúten Está Associado a Doenças Imunológicas

O Glúten Está Associado a Doenças Imunológicas
O Glúten Está Associado a Doenças Imunológicas

As doenças autoimunes são desordens em que o sistema imunológico ataca coisas que estão presentes de forma natural no nosso corpo.

Existem alguns tipos de doenças autoimunes que afetam vários de nossos órgãos.

A doença celíaca é um tipo de doença autoimune e os pacientes celíacos também têm um maior risco de virem a sofrer de outras doenças autoimunes.

Muitos estudos encontraram fortes associações estatísticas entre o glúten, doença celíaca e várias outras doenças autoimunes.

Incluindo Tireoidite Hashimoto, Diabetes Tipo 1, esclerose múltipla e várias outras.

Além disso, a doença celíaca está associada a um grande número de outras doenças, muitas das quais não têm nada a ver com a digestão.

Referência: Musculação.Net

Resumindo:

1. Ele Causa Aumento De Doenças Celíacas;

2. Sensibilidade Ao Glúten;

3. Pode Provocar Efeitos Adversos;

4. Ele Pode Causar Desordem Cerebral

5. Pode Ser Viciante;

6. Está Associado a Doenças Imunológicas.

Conclusão

Conclusão 6 Motivos Para Banir o Glúten De Sua Alimentação e Viver Muito Mais Saudável
Conclusão 6 Motivos Para Banir o Glúten De Sua Alimentação e Viver Muito Mais Saudável

Ainda não é 100% certo afirmar que o glúten faz mal para a saúde de quem não é celíaco, mas certamente é melhor evitá-lo.

Os estudos ainda precisam de maiores comprovações, mas o que foi feito até aqui não demonstra nenhum benefício à cerca deste alimento.

Uma boa dica é remover o glúten de sua alimentação por 30 e dias e verificar se sentiu alguma diferença.

Em termos de saúde, principalmente com relação ao trato intestinal.

O que achou? Vai tentar?

Eu já não consumo alimentos que possuem glúten há 2 anos, não sinto falta e vivo muito bem meu estilo de vida saudável.

Se você começar a ter o hábito de ler os rótulos dos alimentos, vai perceber que tudo que não é bom para a nossa saúde possui glúten.

Evitando alimentos que possuem glúten você estará evitando muitos alimentos industrializados, refinados e processados.

E estes alimentos não fazem nada bem para a sua saúde.

Se ainda tiver dúvidas sobre o porquê de evitar o glúten em sua alimentação, deixe seu comentário logo abaixo.

Para descobrir mais informações sobre alimentação saudável e fit Clique Aqui.

Para me seguir nas Redes Sociais e só ir no Facebook AQUI, Instagram AQUI e YouTube AQUI.

Resumo
6 Motivos Para Banir o Glúten De Sua Alimentação e Viver Muito Mais Saudável
Nome do Artigo
6 Motivos Para Banir o Glúten De Sua Alimentação e Viver Muito Mais Saudável
Descrição
Há o glúten, será que ele é um vilão em nossa alimentação? Descubra todos os detalhes sobre ele e entenda porque ele pode ser prejudicial a nossa saúde.
Autor
Organização
Logo
Avalie Este Artigo
[Total: 5 Média: 4.6]